Por que todos nós devemos brindar e celebrar o Dia do Solteiro


Talvez como uma vingança criativa ao tão famoso e queridinho Dia dos Namorados, resolveram criar não sei bem como o Dia do Solteiro. Interessante como não ganha tanta repercussão, não é mesmo? E por que será?

Suspeito que o fato de estarmos numa sociedade que insiste em afirmar que o “correto” é estar casado, estar solteiro é, necessariamente, uma falta.É  um estado de não-namorando (casado, junto, etc). Não existe por si, mas como uma ausência do que se espera de alguém saudável. Nesse caso encontramos pessoas que odeiam estar solteiras, nessa situação de “falta”, de “vazio”, de não suportar ficar consigo.

Do outro lado há aqueles que colecionam histórias malogradas de relacionamentos disfuncionais, ou que se machucaram muito com términos, ou que observam amigos comprometidos reclamando constantemente da sua atual condição. Aqui temos aqueles que amam estar – ou ser? – solteiros, com tanta convicção que a mínima ideia de se relacionar a longo prazo com alguém gera uma reação negativa imediata.

A polaridade do ódio ou amor à condição de solteirice se refere sempre à luta contra algum inimigo: dor, carência, tristeza, frustração, mágoa, ciúmes, vazio.

Pois bem… Se considerarmos que a lista acima é uma condição humana por natureza, e que baterá na nossa porta independentemente do nosso estado civil, estar solteiro ou estar namorando é tão somente uma configuração específica em dado espaço tempo. Em qualquer uma das opções, há sempre alguém que permanece: você mesmo.

Se namoros e casamentos merecem ser brindados, por que não a solteirice, com todos os sabores e aventuras que ela oferece?

E, por um lado mais conceitual da coisa, quase filosoficamente falando: mesmo casado há 15 anos e com três filhos, todo mundo tem seu lado solteiro, no que se refere a sua individualidade, sua constituição enquanto sujeito, que pensa, sente, deseja, teme e age.

Relacionamentos são um convite para o desafio de conhecer-se a si mesmo através do espelho que é o cônjuge.

Estar solteiro é um convite para o desafio de conhecer-se a si mesmo através do espelho que é a vida.

Então brindemos todos esse dia! Se não for pelo Dia do Solteiro, então que brindemos o aniversário do meu querido e amado filho, que completa hoje 3 anos e que, se a data persistir daqui alguns anos, prevejo grandes festas adolescentes com boas desculpas para… ai meu Deus, vou pegar uma aspirina….

Nina Taboada

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *